Arquivo da categoria: Colunas

Drivers Linux para Impressoras Epson

Olá todos.
Relativamente recentemente eu comprei uma multifuncional da Epson que usa rede wifi para digitalizar e imprimir documentos. O modelo em questão é uma Epson XP-204.
Fui tentar detectar ela e adicionar ela pelo Impressoras do GNOME 3 no Debian 7 e ela apareceu lá!
Feliz eu com o seu aparecimento e aparente compatibilidade fui tentar adicionar ela, porém, nada aconteceu.
.
Pesquisando na internet descobri que existe driver para Linux e inclusive livre! Mas por algum motivo não vinha incluído a versão necessaria dele no Debian.
.
Logicamente fui direto no site da Epson Brasil onde fui procurar pelos drivers para Linux.
Lá encontrei drivers pra Windows e pra Mac mas por algum motivo os drivers pra Linux não estavam lá.
Pesquisando na internet ainda mais encontrei o incrível site OpenPrinting, eles estão construindo e disponibilizando uma lista de impressoras e seus respectivos drivers para nosso amado GNU/Linux. O site é inclusive mantido pela fundação Linux.
.
Finalmente, atravéz do OpenPrinting eu achei a página da Epson de downloads de drivers pra Linux. Que por algum motivo estava oculto no site da Epson, ou pelo menos não muito visível. No OpenPrinting.org por onde pude finalmente baixar o driver .deb de 32 bit, já que estou usando Debian de 32 bit. Depois o instalei com o GDEBI e repeti o processo de adicionar impressora pelo Impressoras do GNOME. E funcionou!
gnome printers window
 
 
 
 
 
Passando por esse dificuldade contratempo eu decidi criar uma página neste site com links de download de drivers linux para multifuncionais de alguns fabricantes. Tu pode sugerir algo que não estiver lá!
Tux, the Linux penguin

Empresas comprando umas as outras

 
 
 
 
Olá, esse post é mais um desabafo de coisas que estão acontecendo no mundo da tecnologia. Mais especificamente sobre a compra de empresas de importância significativa por outras empresas mais novas.
Eu costumava ser um grande fan da Sun Microsystem e seus servidores fantásticos, e de seu sistema operacional, o Solaris, o qual tenho vários DVDs originais dele, sou fan e usuário dos softwares da Sun também, como o StarOffice e do VirtualBox, o StarOffice é a base do OpenOffice, foi nele que o OpenOffice foi baseado.
Até que então em um dia cinza a Oracle comprou a Sun e destruiu muitos de seus produtos, alguns deles foram descontinuados, outros firacaram órfãos, outros deixaram de exisitir.
Outra grande compra que não me deixou feliz foi anos atras a compra da Macromedia pela Adobe…
Recentemente a Microsoft comprou a Skype, e já estão conseguindo deixar esse maravilhoso software VoIP cada vez pior…
Muito recentemente o Google começou a aquisição do Meebo, um ótimo mensageiro multiprotocolo e multiplataforma.
Agora, como se não bastasse, anda circulando da web um boado de que o Facebook estaria interessado em comprar a Opera!!!! Que é meu navegador padrão e favorito a muitos anos agora.
Então fica aqui a minha indignação com isso de muitas empresas que fizeram parte da história da informática estarem sendo aniquiladas de forma desleal.
 
O que irá acontecer com o Skype e com o Opera? O que irá acontecer com todas outras empresas que gostamos e ainda irão serem compradas?
 
 
 
 

Mageia? Pra mim por enquanto não, obrigado.

Olá, vamos direto ao ponto, após alguns dias de destes do Mageia Linux, cheguei a uma conclusão um tanto obvia e já esperada, o Mageia 1.0 nada mais é do que o reconhecido e agradável Mandriva 2010.2 com roupa nova e alguns pacotes atualizados. Coisa que eu já estava esperando, pelo fato do Mageia ser um fork do Mandriva, isso é, ser baseado no mesmo código fonte, em vez de ser uma distro do Mandriva. Entre usar o Mageia 1.0 e o Mandriva 2010.2 eu pessoalmente ainda prefiro o Mandriva e adoraria se a Mandriva continuasse melhorando o Mandriva 2010.2 ou continuasse seu projeto em futuras versões ao invés de mudar tudo de novo como fez no 2011, 2011 que quase nem Mandriva é mais direto, e sim, um Rosa Desktop de nome novo.
Rosa Desktop, até onde eu sei uma distribuição russa baseada no Mandriva Linux. A Rosa Labs, empresa por trás do Rosa Desktop detém atualmente grande parte da Mandriva.
Eu particularmente não estou gostando nem um pouco desta história que está sendo escrita na Mandriva.
Na minha opinião, toda o desenvolvimento e administração da Mandriva deveria voltar para cá, no Brasil. Aí sim muito provavelmente a empresa entraria nos eixos.
Resumo da ópera, por enquanto fico no Mandriva 2010.2, se tudo der errado, migro pro Debian ou pro Foresight Linux.

E as coisas continuam quentes. Tenho medo que o Mandriva Linux acabe?

Pois é pessoal, o clima continua quente aqui, acima dos 30 graus, deu uma chovida, mas não adiantou muito e parece que eu não consigo dormir com esse calor todo, então aqui estou escrevendo, o que é bom, assim o blog fica mais movimentado, não é mesmo?
 
O assunto dessa madrugada é o seguinte.

Tenho medo que o Mandriva Linux acabe?

Resposta curta, não.
Resposta longa, o Mandriva Linux, apesar de ser comercial, possui, como toda boa distribuição Linux, o seu código aberto. Assim, sempre que haver uma comunidade apaixonada pela distro, essa continuará a existir. Atualmente, grande parte da distro ainda continua sendo desenvolvida por algumas das mesmas pessoas que a muito tempo atras trabalhavam na Conectiva. Pessoas essas que não querem e não vão deixar o trabalho de tantos anos acabar assim. Eu não tenho medo que o Mandriva acabe porque eu confio nos desenvolvedores antigos da Conectiva e nos atuais da Mandriva, confio no pessoal que tá ali no escritório brasileiro da Mandriva, trabalhando arduamente para sempre tentar melhorar essa distribuição que já esteve entre as mais inovadoras e usadas do mundo todo.
 
Se a empresa Mandriva acabar, talvez aconteça de uma outra empresa nascer e continuar com o legado Conectiva, ou talvez, os devs atuais se unam e transformem o Mandriva em uma distro comunitária, que nem o Debian ou Fedora. Por comunitária quero dizer, mantida pela comunidade, tudo o que é necessário é organização e dedicação.
Vamos nos unir e não vamos deixar bons projetos de código livre acabarem.

smart – Uma bela alternativa ao URPMI.

Olá, este é um artigo prático de introdução ao SMART, um gerenciador de pacotes RPM que pode ser usado perfeitamente como alternativa ao URPMI, por que? Porque o SMART é mais ágil, ponto final.

Não há muito o que dizer, ele é super fácil de usar e rápido. Em vez de ficar falando e falando e enrolando como em muitos tutos e artigos, vamos logo ao que interessa, afinal, já falei de mais. 😉

Instalação:

Para instalar ele basta dar um urpmi smart no terminal, como root.

Usando:

Ele é semelhante ao apt-get, basicamente as opções que serão usadas serão.

  • update = Atualiza as mídias.
  • upgrade = Atualiza a distro.
  • install nome_do_pacote = Instala determinado pacote.
  • search palavra = Procura por determinada palavra tanto no nome quanto da descrição do pacote, neste ponto que o smart leva grande vantagem sobre o urpmi.
  • remove pacote = Remove um pacote.

Para adicionar mídias ao SMART, entre no site do Easy Urpmi, eu já deixei pronto as mídias escolhidas, simplesmente selecione e copie todos os comandos lá em baixo, e cole num terminal, como root, você vai precisar dar um enter para rodar o último comando, vai entender quando chegar a hora. 😉

Veja uma parte da saída do smart –help:

Action commands:

  • update
  • install
  • reinstall
  • upgrade
  • remove
  • check
  • fix
  • download
  • clean

Query commands:

  • search
  • query
  • info
  • stats

Setup commands:

  • config
  • channel
  • priority
  • mirror
  • flag

Para ver a saída na íntegra de uma olhada no meu post no pastebin.com.

SMART em ação!

[root@phenomdriva megaf]# smart search rxvt
Loading cache...
Updating cache...                      ################################## [100%]
aterm - An rxvt-based terminal emulator for X11
mrxvt - A multi-tabbed X terminal emulator based on rxvt
multi-aterm - Light tabbed terminal emulator
root-tail - Root-tail prints text directly to an X11 root window
rxvt - A color VT102 terminal emulator for the X Window System
rxvt - A color VT102 terminal emulator for the X Window System
rxvt-CJK - CJK menus for rxvt
rxvt-CJK - CJK menus for rxvt
rxvt-unicode - A color VT102 terminal emulator for the X Window System
swm - A small window manager for X11
w3m - Pager that can also be used as textbased webbrowser
Saving cache...
Repare que ele faz um cache do resultado e salva, na próxima vez que você pesquisar por algo, a pesquisa será ainda mais rápida.
Agora instalando o rxvt:
[root@phenomdriva megaf]# smart install rxvt
Loading cache…
Updating cache…                      ################################## [100%]
Computing transaction…
Installing packages (1):
rxvt-3:2.7.10-21mdv2010.0@x86_64
744.6kB will be used.
Confirm changes? (Y/n): y
Fetching packages…
-> http://mandriva.c3sl.ufpr.br/official/2010.0/x86_64/media/main/release/rxvt-2.7.10-21mdv2010.0.x86_64.rpm
rxvt-2.7.10-21mdv2010.0.x86_64.rpm   ################################## [100%]
Committing transaction…
Preparing…                             ################################## [  0%]
1:Installing rxvt                    ################################## [100%]
Viu como é simples? Agora é só você explorar o smart e curtir este magnífico gerenciador de pacotes!

Artigo escrito por Megaf para o blog Megaf Portal. Livre distribuição e divulgação deste texto, desde que mantendo as referências autorais.
Pŕoximo artigo: SMART GUI – UMA BELA ALTERNATIVA AO RPMDRAKE/DRAKRPM.

WEB 3.0, uma visão de Megaf.

Aí vai meu terceiro ou quarto post de futurologia/idealização de como será alguma tecnologia no futuro.

sistemas operacionais e internet seriam uma coisa só
as paginas ficariam armazenadas nos computadores de cada usuario
nao existiriam servidores centrais
cada pessoa teria uma parte de cada arquivo
existiriam os chamados main index, que seriam computadores e paginas de pesquisa para localisar conteudo
(os buscadores atuais só acham o que é popular, muita coisa existe e não é mostrada)

Acidentes com computadores – Meu EeePC 701

Primeiro:
Estava eu sentando no sofa da sala, com o Eee no colo, navegando na internet, quando uma senha de 60 e pocos anos passa aprecada em direcao a cosinha para não perder o programa de tv, não é que ela tropecou com tudo no cabo de forca do meu Eee, ele saiu do meu colo voando, foi um salto de 2 metros até ricochetear no chao e dar com tudo na parede.
Segundo:
Estava eu novamente, sentado, nesta vez na beira da praia, ouvindo umas musicas no meu Eee, quando derrepende, não mais que de repente, surge correndo em minha direcao um labrador, isso mesmo, aquele cachorro ultra inteligente, mas esse não era qualquer labrador, era um enorme, pesado, quando vi, estava o dono dele desesperado mandando ele parar, eu sentado não sabia pra onde focar minha atencao, na minha amiga que estava ao meu lado, apavorada e assustada com medo do labrado, ela tem trauma com cachorros. Ou não sabia se focava minha atencao no dono gritando.
Deveria eu ter focado minha atenca em proteger meu Eee. Resultado, o labrador passou correndo por cima do meu amado pequeno Eee,enfiou sua pata dianteira esquerda com todo seu peso e energia da corrido no teclado do meu Eee, vi eu meu Eee dando um 360 flip back seguido de um quadruplo front back in line no ar e depois caindo de forma não jeitosa no chao. Foi areia pra tudo que é lado, fiquei duas semanas limpando o coitado.
Terceiro: O pior de todos os 3 na minha opniao.
Estava (agora não é eu) meu Eee em cima do gaveteiro, a +- 1,20 ou 1,40 de altura. Conectado na tomada no outro lado do quarto com o fio no meio do caminho.
Detalhe, tava o mouse sem fio conectado a ele e meu HD externo de 80Gb tambem nele conectado.
Quando…
A natureza me chama, tive que ir voando pro banheiro, não lembrei do pobre fio no meio do caminho, la foi meu Eee novamente ao chao, no pior de todos os seus acidentes, levando consigo meu brand new disco externo, ele tava com a tela aberta.
Incrivelmente, meu Eee absolutamente nada sobre em nenhum desses acidentes, nem mesmo um unico arranhao se quer. Pra não dizer nada, tive que trocar o conector da fonte por duaz vezes. Coisa que eu mesmo fiz.
Pra mim, esta ai provada e constada a resistenca e qualidade desse laptop e uma das maiores vantagens em ter um computador sem pecas moveis (ter SSD e não ter drive optico).

Primeiro:
Estava eu sentando no sofa da sala, com o Eee no colo, navegando na internet, quando uma senha de 60 e pocos anos passa aprecada em direcao a cosinha para não perder o programa de tv, não é que ela tropecou com tudo no cabo de forca do meu Eee, ele saiu do meu colo voando, foi um salto de 2 metros até ricochetear no chao e dar com tudo na parede.
Segundo:
Estava eu novamente, sentado, nesta vez na beira da praia, ouvindo umas musicas no meu Eee, quando derrepende, não mais que de repente, surge correndo em minha direcao um labrador, isso mesmo, aquele cachorro ultra inteligente, mas esse não era qualquer labrador, era um enorme, pesado, quando vi, estava o dono dele desesperado mandando ele parar, eu sentado não sabia pra onde focar minha atencao, na minha amiga que estava ao meu lado, apavorada e assustada com medo do labrado, ela tem trauma com cachorros. Ou não sabia se focava minha atencao no dono gritando.
Deveria eu ter focado minha atenca em proteger meu Eee. Resultado, o labrador passou correndo por cima do meu amado pequeno Eee,enfiou sua pata dianteira esquerda com todo seu peso e energia da corrido no teclado do meu Eee, vi eu meu Eee dando um 360 flip back seguido de um quadruplo front back in line no ar e depois caindo de forma não jeitosa no chao. Foi areia pra tudo que é lado, fiquei duas semanas limpando o coitado.
Terceiro: O pior de todos os 3 na minha opniao.
Estava (agora não é eu) meu Eee em cima do gaveteiro, a +- 1,20 ou 1,40 de altura. Conectado na tomada no outro lado do quarto com o fio no meio do caminho.
Detalhe, tava o mouse sem fio conectado a ele e meu HD externo de 80Gb tambem nele conectado.
Quando…
A natureza me chama, tive que ir voando pro banheiro, não lembrei do pobre fio no meio do caminho, la foi meu Eee novamente ao chao, no pior de todos os seus acidentes, levando consigo meu brand new disco externo, ele tava com a tela aberta.
Incrivelmente, meu Eee absolutamente nada sobre em nenhum desses acidentes, nem mesmo um unico arranhao se quer. Pra não dizer nada, tive que trocar o conector da fonte por duaz vezes. Coisa que eu mesmo fiz.
Pra mim, esta ai provada e constada a resistenca e qualidade desse laptop e uma das maiores vantagens em ter um computador sem pecas moveis (ter SSD e não ter drive optico).
E você, conte também uma de seus acidentes envolvendo algum equipamento eletrônico ou de computação.
Post inspirado na noticia publicada por Luis Sucupira no ForumPCs.

Uma aventura com o BeOS. Parte 2, Nem tudo está perdido.

G’day.
Como dizem os australianos.
Seguindo com a saga do BeOS em meu Desktop.
Após muito pesquisar e ler na internet e conversar com alguns desenvolvedores do BeOS e do Haiku, vi que duas coisas diferentes poderiam estar acontecendo.
Ou o BeOS não tava suportando meu CPU, e por isso não conseguia carregar. De fato, no LiveCD meu CPU consta como unkown.
Ou, eu estava com mais memória RAM que o BeOS oficialmente suporta.
Li em um site, por acaso, e foi no www.bebits.com, que o BeOS suporta no máximo de 800Mb a 1Gb de memória total no sistema, ou seja RAM + memória de vídeo não podem ultrapassar de 800Mb a 1Gb, dependendo a versão.
Meu computador estava com 1,5Gb de memória RAM instalada, mais 256Mb de memória de vídeo, obviamente, impossivel o BeOS funcionar nessas condições, até porque, ele é um sistema extremamente otimizado, capaz de rodar com toda seu poder e velocidade com apenas 32Mb de SDRAM!
Felizmente, meus 1,5Gb estão dividos em 3 pentes de 512Mb, podendo eu remover facilmente um deles sem sacrificar muito a quantidade de memória instalada.
No primeiro teste eu removi de cara 2 dos pentes instalados, ficando com 512Mb de memória RAM apenas. O BeOS iniciou muito rapidamente,  depois, coloquei devolta um dos pentes, ficando com 2x 512 + 256, eu não esparava que o BeOS bootasse e não é que inicialisou? O motivo disso é que estou usando uma versão do BeOS patcheada e atualisada pela comunidade, BeOS 5 MaxEdition. Ele não só suporta meu CPU como oferece aceleração 3D com a minha NVIDIA 6200 AGP e ainda aguenta os 1Gb + 256Mb de memória total.
BeOS agora está rodando quase 100% aqui. Ainda falta resolver alguns problemas menores, como o som sendo reproduzido nas caixas de som trazeiras em vez das dianteiras, e a rede que fica caindo após abrir uma ou duas páginas na internet.
O problema da rede deve ser causado pelo driver antigo que não específico para a minha placa de rede que peguei na internet. Tive exatamente o mesmo problema a uns 2 ou 3 anos atras com o Haiku OS quando ele ainda não suportava a minha VIA Rhine II, o driver que estou usando é pra VIA Rhine I.
O mais estranho é que baixei um driver pra Realtek 8139, que está espetada ali no slot PCI, mas ela continua não sendo reconhecida pelo BeOS.
Agora estou procurando duas placas de redes que perdi aqui em algum lugar, uma Intel Pro 100 e uma Realtek 8169, está oficialmente e nativamente suportada pelo BeOS. Qualquer coisa compro uma…
Por enquanto é isso, um abraço a todos e obrigado pela leitura.

Uma aventura com o BeOS. Algo saiu errado.

Olá, os que me conhecem devem saber que eu sou um maluco por sistemas alternativos, diferentes, não muito comuns. Eu gosto muito de sistemas inovadores, a maioria dos sistemas inovadores são antigos, como o System 7, que equipava os primeiros Macintosh, no final dos anos 80 e inicio dos 90.
Mac OS 7
O sistema operacional do passado que mais admiro é o BeOS, lá de 1995, ele competia diretamente com o Windows 95, o BeOS era, e ainda é, muito superior aos sistemas operacionais atuais, já em 1995 era um sistema verdadeiramente multi-tarefa e de 32 bits, com real sumporte a multi-processamento, tinha um interface gráfica fantástica, organizada e extremamente intuitiva.
Infelizmente, e inacreditavelmente, o Windows foi o vencedor dessa batalha, anos depois a Be Inc, a dona do BeOS viria a fechar, o BeOS ficou com a Palm, que tinha planos de usar ele, mas acabou o enterrando de vez. Teve uma empresa alemã que tentou dar uma atualizada no BeOS, tornando-o compativel com os hardwares atuais, esse sistema foi nomeado ZETA, na minha opnião, o melhor sistema operacional moderno,  após um incendio, eles perderam as aturizações pra produzir o ZETA e a Palm não quis mais renovar, por isso não foi adiante, parou na vesão 1.2.
Antigos desenvolvedores do BeOS, programadores e entusiastas decidiram então criar um novo sistema operacional, 100% compativel com os programas originalmente escritos para o BeOS, de inicio se chamava OpenBeOS, atualmente se chama Haiku.
Haiku, em fase Alpha, já está bastante estável, uso ele no dia-a-dia em meu EeePC, não tive muita sorte ao tentar instalar ele em meu Desktop, pois não consigo fazer meu computador dar o boot pelo LiveUSB do Haiku que fiz…
Insatisfeito com o Linux atualmente instalado em meu computador, não querendo migrar pra outro Unix Like e também não querendo ter que voltar ao Windows, decido então arriscar o BeOS 5 Max Edition.
Adquiri a imagem de CD dele, e fui reiniciar e bootar pelo CD dele.
Tive uma agradavel surpresa logo que iniciei o computador, ele é ao mesmo tempo um LiveCD e um instalador, é carregado parte do sistema, quando ele pergunta se eu quero instalar ou rodar ele como LiveCD, escolhi LiveCD pra ver como se comportava. Aceleração 3D ok, resolução nativa da minha tela LCD suportada, audio aparentemente funcionando, e um bom set de aplicativos, sistema estava rodando muito bem, testei ele por LiveCD mais uma ou duas vezes ainda. Quando tomei coragem e parti para a instalação.
Meu HD estava com duas partições, uma com Linux e outra com Windows, ai tive que romar uma decisão, qual partição deletar, pensei:
Todos os softwares que uso no Linux existem tambem no Windows, na mesma versão, como o XChat, Pidgin, Skype, Writer, Opera. Ou, existem versões melhores ainda pra BeOS, como o Vision, um otimo cliente IRC. Já no Windows, tem alguns programas que eu até hoje só consegui fazer rodar bem no Windows, como o iTunes e simulador America’s Army 2.8.x,. A decisão foi fácil. Adeus Linux. O grande problema eram os muitos GB em sistemas operacionais raros que eu tinha baixado e que eu iria perder, como o proprio BeOS e o Windows NT 3.51.
Pensei, posso baixar novamente outro dia.
Pois bem, deletei a partição do Linux e criei uma pro BeOS e fui rodando o instalador, muito prático e agradavel por sinal esse instalador do BeOS, realmente fantástico. Objetivo, e faz perguntas somente realmente necessárias.
A instalação ocorreu as mil maravilhas, inclusive detecteu o Windows e configurou dual boot com ele.
Estava eu feliz da vida, finalmente, após anos e anos adimirando o BeOS sem nunca ter podido usar ele de verdade, vou ter ele em meu computador.
Instalação concluida, primeiro boot lá vou eu.
Durante o processo de boot do BeOS é mostrado uma tela com uns 7 ou 8 ícones lado-a-lado, que vão ficando coloridos a medida que o sistema vai sendo carregado.
Primeiro ícone ficou colorido, segundos depois o segundo ícone, um sorriso ensaiava para se abrir em meu rosto, mal sabia eu que dali não passaria, mais ou menos 20 segundos após o segundo ícone aparecer, o computador foi reiniciado subitamente sem causa aparente. Semelhantemente havia acontecido anteriormente ao tentar rodar o LiveCD no Virtual Box.
E nessa situação estou agora! Teclando do Windows, com o BeOS doente na outra partição. Como não tenho experiência alguma com BeOS, não sei o que fazer para diagnosticar o problema e depois corrigi-lo. Acredito que seja algum problema com o controlador IDE ou com algum chipset.
O que mais me intriga é o fato dele rodar perfeitamente como LiveCD. Mas não instalado.
Agora pergunto a vocês, o que vocês acham de tudo isso?
http://www.haiku-os.org/
http://www.beosmax.org/
http://en.wikipedia.org/wiki/BeOS