Arquivo da categoria: internet

Vamos usar o apt-p2p?

Debian OpenLogo
Olá,o apt-p2p, é um cache de pacotes deb para o apt-get e aptitude, não só isso, alem de fazer um cache, ele é um proxy p2p, ou seja, ele vai baixar os pacotes .deb para você de outros usuários que já tiverem ele baixado,
Funciona de forma semelhante ao Torrent.
Quando você, por exemplo, fizer um apt-get install xterm, o apt-p2p primeiro vai tentar baixar do máximo de pessoas que puder, se ninguém tiver os debs que tu precisa, então ele vai pegar do mirror normal mesmo. Ou seja, sempre vai funcionar.
Como qualquer coisa p2p, quanto mais gente tiver usando, melhor.
E o melhor de tudo, é super fácil de instalar ele tanto no Debian quanto no Ubuntu e seus derivados, é claro.
Para instalar simplismente abra um terminal, logue-se como root e digite: apt-get update && apt-get install apt-p2p
Agora faltam apenas dois passos, abra, como root, o seu /etc/apt/sources.list e modifique-o para que fique neste formato.
Por exemplo, se estiver lá:
deb http://ftp.br.debian.org/debian squeeze main contrib non-free
Mude para:
deb http://localhost:9977/ftp.br.debian.org/debian squeeze main contrib non-free
Basicamente é só colocar o localhost:9977/ entre o http:// e o ftp..
Agora de um apt-get update ou aptitude update para que o apt-get comece a buscar os pacotes com o apt-p2p e volte a usar seu sistema normalmente.
Vamos todos adotar o p2p, assim reduzindo a carga nos servidores principais e aumentando nossa velocidade de download!
Qualquer coisa, pergunte.

Opera 11 Alpha – com suporte para extensões! – disponível para testes.

O blog Opera Desktop Team anunciou agora a poco a disponibilidade da mais nova versão de testes do mais rápido e mais completo navegador web do mundo.
Ele traz inúmeras novidades alem de correções de centenas de bugs.
Com certeza o recurso mais desejado aguardado no Opera Browser é o suporte a extensões, que agora vocês podem testar e fazer suas próprias.
Entre as outras novidades estão também a nova versão do motor do Opera, o Opera Presto 2.6.37, que agora está ainda mais compatível com o HTML 5, suportando mais recursos.
O Opera está mais rápido, não só em sua execução e navegação, mas também em sua instalação.
Nas versões pra Linux você não precisa baixar nenhuma dependência, apenas um pequeno pacote.
Na versão pra windows, o arquivo do instalador está 10% menor, tornando o seu download mais rápido. Agora ele está duas vezes mais rápido que o instalador antigo para atualizar e instalar o Opera.
Confira aqui uma lista de jogos em HTML 5
Anúncio do Opera 11 no blog Opera Desktop Team
Site de download e upload de extensões pro Opera 11
Faça já o Download do Opera 11 Alpha

XDMCP + Internet = Seu Linux onde você estiver.

Hoje em dia cada vez mais precisamos ter acesso ao nosso computador de qualquer lugar, neste tutorial vo mostrar como instalar e configurar o XDMCP para que você possa acessar seu computador e usa-lo como se estivesse sentado na frente dele de qualquer lugar.

Já existem diferentes formas de acessar o desktop remotamente, mas nunca gostei muito de nenhuma delas, sempre achei que faltava alguma coisa, não era o que eu queria, eu queria me sentir exatamente como se eu estivesse sentado a frente de meu computador, colocando meu nome de usuário e minha senha no gerenciador de login, no meu caso, o KDM, assim que eu faria se estivesse aqui, na frende do computador.
Qual é a solução?
Há uma solução para Linux muito interessante, o  XDMCP, que significa em inglês: X Display Manager Control Protocol.
Como ele funciona?
Falando a grosso modo, ele “pega” o “login” e manda pela rede, para que outro servidor X, X.org, exiba-o e você possa se logar remotamente ao seu Linux.
Como será minha experiência?
Deste modo, você tem em tela cheia, uma sessão X de seu computador remotamente, e vai usar ele remotamente tendo a mesma experiência do que se estivesse sentado na frente dele. Mas  com a vantagem de quem vai processar a parte gráfica é o computador loca, e não o remoto.
E quanto a qualidade e velocidade?
Assim sendo, você tem um vídeo de alta qualidade, sem delay ao mover o mouse por exemplo, independetemente da conexão! Só não espere algo muito agradavel de usar numa conexão extremamente lenta, pois a experiência será e mesa de usar um computador com recursos extremamente limitados, pois seria como um processador, mandando as informações através de um barramento lento para a placa de vídeo.
Como configurar?
O XDMCP já vem built-in no X.org, tudo o que você precisa é de um DM, Display Manager, com suporte a ele, como por exemplo o KDM ou GDM,  em distros que usam o KDE por padrão, como o Mandriva e OpenSUSE, o KDM, e em distros que usam o GNOME por padrão, como o Fedora e o Mint, o GDM.
Configurando o KDM:
Procure pelo arquivo  kdmrc.
No Mandriva Linux ele está na /usr/share/config/kdm/kdmrc.
Abra ele, como root, no seu editor de texto preferido e procure pela linha:  [Xdmcp], mude o valor dela para True.
[Xdmcp]
Enable=true
Agora procure o arquivo Xaccess e descomente as linhas * #any host can get a login window e * CHOOSER BROADCAST #any indirect host can get a chooser, se estiver comentadas com um #.
Configurando o GDM:
No GDM você pode usar o aplicativo gdmsetup, aí na aba remoto ative o XDMCP. Isso estando logado como usuário root.
Pronto, reinicie seu Display Manager com o comando /etc/init.d/dm restart ou /etc/rc.d/dm restart
Conectando-se ao servidor pelo cliente:
Agora para se conectar ao seu computador remotamente use o X:
X :1 -query ip do servidor.
Informações extras:
-Você pode desativar o acesso ao XDMCP pela internet,  restringir somente a rede local, editando os arquivos acima citados.
-Usando o Xnest,  é possível ter uma sessão X com tela de login e tudo, dentro de uma janela dentro da sua sessão atual, a sintaxe é a mesma do X, Xnest :1 -query IP. Pode ainda rodar ele atravéz do ssh!
-Agora vem a grande dica! O título do artigo é, Seu Linux em QUALQUER LUGAR. Pois bem, você infelizmente não irá encontrar Linux instalado em todos os computadores do mundo e em todas lan houses né? Por que alguem fez uma baita propaganda dizendo que o windows era o melhor, o povo acreditou e deu  no que deu.
Existe um servidor X pra windows, muito legal, chamado Xming, com ele você pode rodar sua sessão X Linux no windows, ou rodar programas gráficos pelo Putty.
Putty é um cliente ssh e telente Open Source pra Windows e pra Linux.
Para rodar uma sessão remota do X do seu Linux, use o Xming Launch, lá você encontra uma opção somente para isso.
Sobre Putty, nas configurações do Putty vá a ssh, e marque a opção do X, e como host ponha localhost, rode o Xming, logue-se ao seu Linux por SSH, agora chame algo gráfico, como o xterm.
Se você preferir, é possivel também acessar com algumas acrobacias, via VNC!, Existe um servidor X, chamado Xvnc, mesma sintaxe do Xnest e X, para mais detalhes, digite Xvnc –help.
É isso, espero que tenham gostado desta dica, qualquer coisa é só perguntar!

Cloud Computing, by Megaf.

Boas, estava eu agora no IRC, teclando comigo mesmo, no meu canal sobre comunicação sem fio, o #Wireless-Br na rede irc.freenode.net. Estava pensando, e desenvolvendo um pensamento sobre o conceito de cloud computing, ou, computação em/de nuvem.
Basicamente, é um conceito onde os programas e até mesmo o proprio sistema operacional saem do computador, e rodam na nuvem, na internet ou numa grande rede interligada.
Abaixo segue o que eu escrevi e a minha linha de pensamento.

To aqui pensando em uma maneira,
de tirar o sistema operacional do computador.
Tudo ficar na internet, ou numa grande rede ou várias redes interligadas.
O computador virar apenas um receptor disso, um ponto de acesso…
A pessoa podendo ter seu sistema, seus jogos, arquivos, onde estiver,
em qualquer computador.
Acho que uma das formas de fazer isso…
…é com cluster de servidores “ultra potentes”,
talvez vários clusters de super computadores ao redor do globo interligados atravez de conexoes de fibra óptica,
grupos de clusters interligados,
afim de aumentar o poder bruto de processamento e ter redundancia, se um grupo sai do ar, tem outros 60 grupos rodando em paralelo afimde garantir que  a nuvem sempre esteja no ar.
E pro armazemanto, uma tecnologia que se encontra em estudos ainda, os bits quanticos…
ou opticos…
e nestes sistemas espelhados pelo globo que rodaria o “sistema operacional”, acho que sistema operacional não é um bom termo pra isso…
Nos “computadores”
dos usuários, sejam desktop ou laptops,
nenhum sistema operacional rodando sobre o hardware local.
sem BIOS
sem configurações
apenas um mini kernel, ou alguma coisa,
Com a unica finalidade, de “puxar” o sistema da nuvem,
talvez algum tipo de acesso remoto…
Claro que pra isso se faz necessário que todos tenham conexões de fibra.
Acho que num futuro não muito distante, um futuro dominado por tecnologias abertas, livres, isso seja algo comum. Onde vários programadores, desenvolvedores, se unam com o objetivo de desenvovler o melhor software.

Por enquanto é isso…
Edit.
Tava aqui pensando agora… Cada cluster, pode virtualizar varios servidores, e esses vários servidores dentro de um cluster, serem interligados, formando um cluster virtual, esse cluster virtual, se junta a outro cluster virtual em outro cluster real.
Os “sistemas operacionais” de nuvem, rodariam nesses servidores virtuais, onde seria feito todo o processamento. O processamento gráfico, pode ficar a cargo de outros serivodres virtuais dedicados a isso.
Os “terminais d acesso”, somente exibiriam um “desktop” ao usuario, mas não processariam nada, seria praticamente monitores com teclado e mouse, ou outros dispositivos de entrada, touch screen é uma boa, talvez comando de vóz ou algo do tipo. tudo coisa a se pensar.
Vo aqui pensando mais sobre isso  e talvez eu coloque alguma coisa em prática.

Vulnerabilidade crítica no protocolo DNS

Uma falha grave no protcolo DNS, divulgada na tarde de ontem causou um grande alvoroço entre administradores de sistemas, ganhando repercussão até mesmo na grande imprensa.

Embora não permita que atacantes invadam servidores ou executem comandos, a vulnerabilidade é grave, pois possibilita o uso de ataques de DNS Poisoning para modificar as entradas de qualquer servidor DNS atingido pela falha.

Grupos organizados poderiam criar sites falsos, simulando sites de bancos e outras instituições e tirar proveito da vulnerabilidade, lançando um ataque contra servidores DNS recursivos usados por um grande volume de usuários, como os servidores de grandes provedores de acesso e o opendns.com de forma a alterar as entradas, fazendo com que os visitantes passassem a ser encaminhados para os sites falsos em vez dos sites reais. Com isso, o roubo de senhas e outros tipos de golpes ganhariam uma nova dimensão.

O que torna esta vulnerabilidade especialmente importante é o fato de ela ser uma deficiência do próprio protocolo DNS, que não se restringe a um sistema operacional específico, afetando tanto servidores Linux rodando o Bind quando servidores Windows.

Se você é um administrador de sistemas, é hora de instalar as atualizações de segurança, que estão sendo disponibilizadas pelas principais distribuições e pela Microsoft neste exato momento. Se você usa Debian, por exemplo, é hora de atualizar para o Bind 9.

Mais detalhes do site Guia do Hardware.

Lançado o esperado e aclamado Opera 9.5!!

Depois de muitas noites testando, melhorando e corrigindo bugs, hoje foi lançado o Opera 9.5.
Opera está agora disponivel em 29 idiomas, 6 a mais que o 9.27, e maior suporte a mais idiomas ainda está por vir
Opera 9.5
O número de usuario do Opera mais que duplicou desde o Opera 9.0
Corrigido um numero recorde de bugs, incluindo 2350 showstoppers
O time do Opera comeu 12 pizzas corrigindo os bugs do 9.5 RC
IMAP está 4x mais rápido no 9.5 do que no 9.2
Mais de 500 mil usuarios usaram e testaram o Opera 9.5 Beta.
O Opera está diponivel em www.opera.com/download
Divirta-se!
http://my.opera.com/desktopteam/blog/2008/06/12/9-5-is-available
Confira o Chanlog do Opera 9.5.
http://www.opera.com/docs/changelogs/linux/950/
http://www.opera.com/docs/changelogs/windows/950/

Além de melhorias corriqueiras, como otimização no uso de memória, velocidade, etc., o Opera 9.5 traz alguns recursos interessantes.
Um deles é o Opera Link, integrado a um serviço gratuito da produtora do navegador. Os favoritos, páginas do Speed Dial (a tela de entrada para vários sites do Opera) e notas podem ser salvos online, e acessadas de qualquer lugar com o Opera 9.5, ou mesmo com o Opera Mini – a versão para telefone celulares e dispositivos móveis em geral. Basta logar-se no serviço.
A navegação por sites que você já passou ficou facilitada. Se você lembra de alguma palavra que tenha lido em alguma página recentemente, fica fácil achar a página com o Quick Find. Simplesmente digite a palavra na barra de endereços, para ver as páginas que contém o termo procurado.

GuiaDoHardware.net
Opera 9.5

Há ainda alerta contra phishing e malware (comum nos navegadores de hoje em dia, se bem que é costume quando você precisar dele, ele não funcionar, já que a todo momento são criadas páginas maliciosas), e salvamento e recuperação de sessões e abas abertas, inclusive contra travamentos indesejados (assim como o Firefox).
O download pode ser feito no www.opera.com, há uma aviso grandão na tela de entrada. Há compilações para Windows, Linux e Mac, e ele está disponível em cerca de 30 idiomas.
Divulgação oficial:
http://www.opera.com/pressreleases/en/2008/06/12/

GuiaDoHardware.net

Liberado Opera 9.5 RC

Acabou se ser liberado um novo build do Opera, dessa vez o Release Candidate do Opera 9.5.
O lançamento do Opera 9.5 final está próximo. 🙂
Nesse build foram corrigido vários problemas estéticos e de desempenho, agora ele está ainda mais rápido e leve.
Baixe-o agora mesmo! E sinta a grande velocidade e segurança que o Opera pode proporcionar!
Linux x86_64
Linux x86_32
Linux PowerPC
FreeBSD AMD64
FreeBSD x86_32
Solaris x86_32
Windows x86_32
Acopanhe o desenvolvimento do Opera no blog oficial do time de desenvolvedores.

Compartilhar a internet, do Linux para a rede.

Sei que muitos de vocês já sabe de cor e invertido como fazer isso, mas ainda tem muita gente que ta chegando agora no Linux e não sabe, então, ai vai, pra mim tambem, quando eu esquecer, como compartilhar a internet no Linux!

Isso serve tambem pra quem quer transformar seu computador em um Access Point, e jogar a internet pelo ar. 😉

-|- Você vai precisar ter o iptables instalado, hoje em dia a maioria das distribuioções já o tras pré instalado por padrão, mas se por algum motivo não o tiver…

-> No Mandriva:
# urpmi iptables

-> No Debian, Ubuntu, Kurumin:
# apt-get install iptables

-> No CentOS, Fedora, Red Hat:
# yum install iptables

-> No Arch Linux e Frugalware:
# pacman -S iptables

E por ai vai.., 😛

Com o iptables instalado execute esses 3 comandos.]

# modprobe iptable_nat
# echo 1 > /proc/sys/net/ipv4/ip_forward
# iptables -t nat -A POSTROUTING -o eth0 -j MASQUERADE

Você vai ter que executar esses comandos a cada boot, e claro que podemos automatizar isso!

-|- Criando um Shell Script com o seguinte conteúdo.

#!/bin/bash
modprobe iptable_nat
echo 1 > /proc/sys/net/ipv4/ip_forward
iptables -t nat -A POSTROUTING -o eth0 -j MASQUERADE

Salve o script com o nome iniciarinternet

-|- Copie o script pro diretorio /usr/bin.

# cp iniciarinternet /usr/bin/

-|- Agora edite o seu arquivo de comandos a serem executados automaticamente durando a inicialização, o rc.local, adicionando o script que acabamos de criar.

# echo iniciarinternet >> /etc/rc.local

Pronto, se você fez tudo corretamente, a cada inicialização a internet será compartilhada para a outra máquina ou switch conectado numa segunda placa de rede no seu computador.

Caso não queira que seja executado automaticamente, só digitar como root quando quiser o comando iniciarinternet 😉