Arquivo da categoria: megaf

MGF Keyboard Standard For Aircraft in Flight Simulation Software V0.1 #MGFKF01

After many many many and a lot of discrepancies between different aircraft even inside the same sim in keyboard shortcuts for various functions and me getting tired of having to relearn everything all over again with every single aircraft I decided to create the first de facto standard for keys in flight simulation.

Megaf

This standard attempts to fix inconsistencies and follow some logic. Whenever you are increasing something or elevating is a capital and a lower case when decreasing or lowering.

Logic this standard follows:

  • Go up/Increase/Raise/Turn On/Next = Uppercase (use of shift)
  • Go down/Decrease/Lower/Turn off/Previous = Lowercase (letter alone)
  • Control a flight system, such as autopilot = Ctrl key is used

Version 0.1.7 – 25/Aug/2018 – DRAFT

Main Aircraft Controls

  • Throttle Increase = “PageUp”
  • Throttle Decrease = “PageDown”
  • Flap Up = “F”
  • Flap Down = “f”
  • Gear Up = “G”
  • Gear Down = “g”
  • Increase Spoiler = “S” 
  • Decrease Spoiler = “s”
  • Activate/Increase/Power Up Reverser = “Del”
  • Deactivate/Decrease/Power Down Reverser = “Shift Del”
  • Turn Heads Up Display On = “H”
  • Turn Heads Up Display Off = “h”

Radar

  • Radar On/Increase Radar Range = “R”
  • Radar Off/Decrease Radar Range = “r”
  • Next Target = “T”
  • Previous Target = “t”

Weapons

  • Select Missile/Next Missile/Pylon = “M”
  • Previous Missile/Pylon = “m”
  • Cycle/Next Weapon = “W”
  • Cycle/Previous Weapon “w”

Defense

  • Release Flares = “Q”
  • Release Chaft = “q”

Automated Flight Control (Autopilot)

This section is optional, for generic APs.

  • Follow programmed route LNAV = “Ctrl l”
  • Follow programmed altitude VNAV = “Ctrl v”
  • Follow selected heading HDG = “Ctrl h”
  • Toggle A/T = “Ctrl t”
  • Next Waypoint = “Ctrl W”
  • Previous Waypoint =”Ctrl w”

More keys to come, suggestions in comments are welcome.

Megaf Server v4.0 – Servidor Minetest

Megaf Server v4.0

Sevidor Minetest

Minetest é um jogo gratuíto e de código livre. Semelhante ao Minecraft, quer dizer, o mesmo estilo. Um ambiente livre, sem limites onde tu podes explorar e construir o que quiser.

Megaf Server v4.0 é o meu quarto servidor de Minetest sendo este e o Megaf Till It Ends meus servidores Minetest mais bem sucedidos. Literalemente milhares de pessoas entraram em ambos os servidor e temos jogadores que jogam conosco a 4 anos.
Instale o Minetest em sua distribuição Linux pelo gerenciador de pacotes.

  • Debian, Ubuntu, Mint e derivados:
    • apt-get install minetest
  • Mandriva, Mageia, OpenMandriva, MoonDrake e derivados:
    • urpmi minetest
  • Red Hat, CentOS, Fedora e derivados:
    • yum install minetest
  • Arch Linux e derivados:
    • pacman -S minetest

Se tu usas Windows ou macOS podes baixar pela página de Downloads do Minetest.
Para se conectar ao Megaf Server apenas baixe e instale o Minetest, abra o jogo, clique na aba Cliente e use o endereço mt.megaf.info e porta 30003.
Tua conta será criada com o usuário e senha que tu digitares ali.
Para poder quebrar blocos e construir tu precisas pedir para ter o privilégio de interagir. Podes pedir aqui, dizendo o seu nick ou no jogo quando eu estiver presente.
Por favor, leia as regras e seja educado.
Abaixo segue fotos do mundo nosso servidor.

Drivers Linux para Impressoras Epson

Olá todos.
Relativamente recentemente eu comprei uma multifuncional da Epson que usa rede wifi para digitalizar e imprimir documentos. O modelo em questão é uma Epson XP-204.
Fui tentar detectar ela e adicionar ela pelo Impressoras do GNOME 3 no Debian 7 e ela apareceu lá!
Feliz eu com o seu aparecimento e aparente compatibilidade fui tentar adicionar ela, porém, nada aconteceu.
.
Pesquisando na internet descobri que existe driver para Linux e inclusive livre! Mas por algum motivo não vinha incluído a versão necessaria dele no Debian.
.
Logicamente fui direto no site da Epson Brasil onde fui procurar pelos drivers para Linux.
Lá encontrei drivers pra Windows e pra Mac mas por algum motivo os drivers pra Linux não estavam lá.
Pesquisando na internet ainda mais encontrei o incrível site OpenPrinting, eles estão construindo e disponibilizando uma lista de impressoras e seus respectivos drivers para nosso amado GNU/Linux. O site é inclusive mantido pela fundação Linux.
.
Finalmente, atravéz do OpenPrinting eu achei a página da Epson de downloads de drivers pra Linux. Que por algum motivo estava oculto no site da Epson, ou pelo menos não muito visível. No OpenPrinting.org por onde pude finalmente baixar o driver .deb de 32 bit, já que estou usando Debian de 32 bit. Depois o instalei com o GDEBI e repeti o processo de adicionar impressora pelo Impressoras do GNOME. E funcionou!
gnome printers window
 
 
 
 
 
Passando por esse dificuldade contratempo eu decidi criar uma página neste site com links de download de drivers linux para multifuncionais de alguns fabricantes. Tu pode sugerir algo que não estiver lá!
Tux, the Linux penguin

AVISO! – Nova política do DynDNS

Olá.

Só gostaria de avisar aqueles que usam domínios do DynDNS para redirecionamento pra IP dinâmico.

A Dyn agora pede que seus usuários de contas gratuítas loguem-se no site deles uma vez por mês para que eles mantenham o domínio ativo, se o usuário não efetuar login pelo site eles vão apagar o domínio.

Programas que se conectam e autentificam não tem o mesmo efeito, então se teu modem ou firewall se autentifica pra atualizar o redirecionamento isso não tem o mesmo efeito de garantir o domínio, tu precisa te logar no site  deles.

Segue abaixo o texto original do Dyn.

Starting now, if you would like to maintain your free Dyn account, you must log into your account once a month. Failure to do so will result in expiration and loss of your hostname. This activity helps us eliminate hostnames that are no longer needed and/or dormant. Note that using an update client will no longer suffice for this monthly login.

We understand that the possibility of resulting service interruptions may be frustrating, so we are offering a transition upgrade offer to VIP status (Dyn Pro) for just $10 USD for the first year. Under this status, login will not be required and service will remain uninterrupted for an entire year.

Vamos usar o apt-p2p?

Debian OpenLogo
Olá,o apt-p2p, é um cache de pacotes deb para o apt-get e aptitude, não só isso, alem de fazer um cache, ele é um proxy p2p, ou seja, ele vai baixar os pacotes .deb para você de outros usuários que já tiverem ele baixado,
Funciona de forma semelhante ao Torrent.
Quando você, por exemplo, fizer um apt-get install xterm, o apt-p2p primeiro vai tentar baixar do máximo de pessoas que puder, se ninguém tiver os debs que tu precisa, então ele vai pegar do mirror normal mesmo. Ou seja, sempre vai funcionar.
Como qualquer coisa p2p, quanto mais gente tiver usando, melhor.
E o melhor de tudo, é super fácil de instalar ele tanto no Debian quanto no Ubuntu e seus derivados, é claro.
Para instalar simplismente abra um terminal, logue-se como root e digite: apt-get update && apt-get install apt-p2p
Agora faltam apenas dois passos, abra, como root, o seu /etc/apt/sources.list e modifique-o para que fique neste formato.
Por exemplo, se estiver lá:
deb http://ftp.br.debian.org/debian squeeze main contrib non-free
Mude para:
deb http://localhost:9977/ftp.br.debian.org/debian squeeze main contrib non-free
Basicamente é só colocar o localhost:9977/ entre o http:// e o ftp..
Agora de um apt-get update ou aptitude update para que o apt-get comece a buscar os pacotes com o apt-p2p e volte a usar seu sistema normalmente.
Vamos todos adotar o p2p, assim reduzindo a carga nos servidores principais e aumentando nossa velocidade de download!
Qualquer coisa, pergunte.

Copiando arquivos entre computadores usando o SCP

Olá, hoje vai mais uma dica rápida de como copiar arquivos entre dois computadores ou servidores usando o SCP, resumidamente o SCP, Secure Copy, é um método de trasferir arquivos de forma segura, ele usa o SSH para isso.

  • Para copiar um arquivo de um computador remoto para o computador local:
scp nomedeusuário@endereçodopcremoto:arquivo.txt /diretório/onde/salvar
  • Copiar um arquivo do computador local para um computador remoto:
scp arquivo.txt nomedeusuário@endereçodopcremoto:/diretório/onde/salvar
  • Copiar um diretório do computador local para um computador remoto:
scp -r diretório nomedeusuário@endereçodopcremoto:/diretório/onde/salvar
  • Copiar um arquivo entre dois computadores remotos:
scp nomedeusuário1@endereçodopcremoto1:/diretóriodoarquivo/arquivo.txt nomedeusuário2@endereçodopcremoto2:/diretório/onde/salvar
  • Copiar os arquivos arquivo.txt e arquivo2.png do computador local para seu diretório “home” do computador remoto:
scp arquivo.txt arquivo2.png nomedeusuário@endereçodopcremoto:~
  • Copiar o arquivo backups.tar.gz usando a porta 2423 para um computador remoto:
scp -P 2423 backups.tar.gz nomedeusuário@endereçodopcremoto:/diretório/onde/salvar
  • Copiar vários arquivos do computador remoto para o diretório atual do computador local:
scp nomedeusuário@endereçodopcremoto:/diretório/dos/arquivos/\{arquivo1.txt,arquivo2.pnt,backups.tar.gz\} .

Esta dica foi baseada na minha leitura de um outro post em outro blog quando eu estava procurando sobre exemplos de uso do SCP.

Ajustando a quota de disco do OpenVZ

Boas, hoje mais um post sobre o OpenVZ, agora sobre como ajustar o tamanho do “disco virtual”.
É bem simples.

vzctl set CTID --diskspace TAMANHOG:TAMANHO MÁXIMOG --save

Em CTID ponha o número que identifica o seu container, e em TAMANHO ponha o tamanho desejado em Gigabytes, por isso o G ali.
Exemplo:

vzctl set 100 --diskspace 12G:13G --save
Qualquer coisa, só perguntar.

Ajustando a memória RAM para um VPS OpenVZ

Olá, Uma das últimas coisas do mundo Open Source que tenho lido bastante sobre e testado aqui é o OpenVZ. Falando muito brevemente, ele é uma ferramenta que cria containers dentro do Linux, rodando outros Linuxes dentro do Linux, como se fossem computadores completos. Ele faz isso isolando os processos dos servidores virtuais. O desempenho é igual ou muito próximo ao nativo. No final do texto coloquei links com mais detalhes.

 

Assumindo que você já tenha um container do OpenVZ rodando, deve ter notado que a memória RAM dele está limitada a 256 MB, então segue abaixo os comandos para ajustar a memória. Tirei os comandos deste ótimo site.

 

64MB Garantidos, 128MB Burstable

cid=1000
vzctl set ${cid} --vmguarpages 64M --save
vzctl set ${cid} --oomguarpages 64M --save
vzctl set ${cid} --privvmpages 64M:128M --save

256MB Garantidos, 512MB Burstable

cid=1000
vzctl set ${cid} --vmguarpages 256M --save
vzctl set ${cid} --oomguarpages 256M --save
vzctl set ${cid} --privvmpages 256M:512M --save

512MB Garantidos, 1024MB Burstable

cid=1000
vzctl set ${cid} --vmguarpages 512M --save
vzctl set ${cid} --oomguarpages 512M --save
vzctl set ${cid} --privvmpages 512M:1024M --save

1024MB Garantidos, 2048MB Burstable

cid=1000
vzctl set ${cid} --vmguarpages 1024M --save
vzctl set ${cid} --oomguarpages 1024M --save
vzctl set ${cid} --privvmpages 1024M:2048M --save

 OpenVZ @ Wikipedia

OpenVZ é uma tecnologia de virtualização em nível de sistema operacional baseada no sistema operacional e núcleo Linux. Ele permite que um servidor físico execute multiplas instâncias de sistema operacional, conhecidas como containersSevidores Virtuais Privados (VPSs) ou Ambientes Virtuais (VEs). É similar ao FreeBSD Jails e ao Solaris Zones. Quando comparado à máquinas virtuais tais como VMware e paravirtualização tais como Xen, o OpenVZ é limitado exige que tanto o host quanto o SO convidado sejam Linux (apesar das distribuições Linux serem diferentes em containers diferentes). Contudo, OpenVZ possui uma vantagem em relação a performance; de acordo com seu site web, há apenas uma perda de performance de 1-3% para o OpenVZ comparado com a utilização de um servidor standalone. Uma avaliação independente de performance confirma isto. Outra mostra mais perdas significantes dependendo da métrica utilizada. O OpenVZ é uma base do Parallels Virtuozzo Containers, um software proprietário fornecido pela Parallels. O OpenVZ é licenciado sob a versão 2 da GPL. O projeto OpenVZ é suportado e patrocinado pela Parallels (o suporte comercial ao usuário não é disponibilizado pela Parallels). O OpenVZ é dividido em um núcleo padrão e ferramentas de nível de usuário.
OpenVZ é um software opensource de virtualização a nível do sistema operativo que lhe permite criar vários servidores virtuais isolados dentro de um servidor master, possibilitando assim a economização de energia e uma melhor gestão de recursos.Cada servidor virtual privado (VPS) pode correr de forma totalmente independente, podendo ser reinicializada e desligada, reconstruida com qualquer distribuição disponível sem que afecte o normal funcionamento das restantes VPSs.OpenVZ é criado com base no Parallels Virtuozzo, uma solução comercial para virtualização fornecida pelo Parallels. 
Um dos aspectos mais importantes a ser levado em consideração ao se adquirir um VPS (servidor privado virtual) é o sistema de virtualização utilizado no servidor dedicado onde o seu VPS ficará hospedado. Ele é o responsável pela maioria das funcionalidades do seu VPS, assim como o desempenho que ele terá. Neste artigo, vamos comparar algumas características do Xen da Citrix e doOpenVZ, que é a versão gratuita do Virtuozzo da Parallels, dois dos sistemas de virtualização mais utilizados.Os dois sistemas de virtualização são bastante diferentes entre si. O OpenVZ é simplesmente uma versão alterada de um Kernel Linux que permite a criação de divisões (também chamadas de containers), que são como uma espécie de chroot do sistema operacional base. Já o Xen introduz um conceito semelhante a outras tecnologias, como o VMWare e o KVM, recorrendo à capacidade de virtualização do hardware dos processadores mais atuais, como o Intel VT-d ou AMD-V.